Completando 25 anos em 2017, a Via Sacra de Luziânia já faz parte do calendário cultural da cidade. Milhares de pessoas assistem, todos os anos, a tradicional encenação da Paixão de Cristo, que retrata a crucificação, morte e ressurreição de Nosso Senhor.

Com o apoio da prefeitura de Luziânia, 200 atores figurarão na maior expressão pública da fé católica da cidade, relembrando os principais momentos da paixão de Jesus Cristo, o seu caminho até o calvário e a morte na cruz. Durante o percurso serão encenados 14 atos que representam cada uma das cenas da Via Crúcis.

A encenação acontecerá no tradicional cenário do Morro da Crucificação, ao lado do estádio Serra do Lago, às 20 horas do dia 14 de abril.

Jardim do Ingá

Os moradores do Jardim Ingá também poderão expressar sua fé e assistir ao espetáculo que será encenado no Morro da Crucificação daquele distrito. A encenação terá início às 16 horas ao lado da Igreja Matriz da paróquia Nossa Senhora Aparecida. Os fiéis sairão em procissão até o Morro da Crucificação onde será apresentado por diversos atores o espetáculo da Paixão de Cristo.

Um pouco de história

A via-crúcis (do latim Via Crucis, "caminho da cruz") é o trajeto seguido por Jesus carregando a cruz, que vai do Pretório até o Calvário. A encenação da Via Sacra, como também é chamada, consiste na representação da caminhada de Jesus a carregar a cruz desde o Pretório de Pilatos até o monte Calvário, meditando simultaneamente na Paixão de Cristo.

A tradição de encenar a Via Sacra teve origem na época das Cruzadas (do século XVI ao século XVIII). Naquela época os fiéis que percorriam, na Terra Santa, os lugares sagrados da Paixão de Cristo, trouxeram a tradição e começaram a reproduzir, no Ocidente, a peregrinação feita ao longo da Via Dolorosa em Jerusalém. O número de estações, passos ou etapas dessa caminhada foi sendo definido paulatinamente, chegando à forma atual, de quatorze estações, no Século XVI.

ASCOM/PML